os nossos valores
Dr. Francisco Manuel Serrano Feitinha [voltar aos currículos]


Decorria o ano de 1956 quando foi admitido na Faculdade de Medicina do Porto, após provas de admissão. Neste curso entraram 220 alunos.

Em 1962 chegaram ao fim 64 colegas. A sua média final foi de 15 valores.
Em 1963 a sua escolha profissional já estava orientada e a tese defendida versou “O futuro obstétrico das mulheres anteriormente histerotomizadas”. Obteve a classificação de 18 valores.
Em 1964, após concurso de provas documentais, ingressa no internato complementar da especialidade de Obstetrícia na Maternidade Júlio Dinis
Em Janeiro de 1965 é interrompida a especialidade por requisição militar. Embarca em Lisboa e chega a Luanda 9 dias depois em Novembro de 65.

Foi uma experiência muito enriquecedora, mostrou capacidade de liderar as gentes e de harmonizar conflitos, teve oportunidade de ajudar as populações nativas e suas mulheres com a sua competência obstétrica, pelo que era conhecido por ser ” médico e tudo”… Com Sorte e com a noção do Dever cumprido regressa a Lisboa e desembarca a 28 de Janeiro de 1968.

Depois da promoção a oficial foi louvado pelo Ex.mo General Barreira Antunes, Comandante da Região Militar de Angola, por proposta do Exmo. Comandante do Batalhão de Cavalaria 1868. Também contribuiu para o apaziguamento bélico do inimigo na área de Quinzau, através da sua acção na área de Psico-Social. Foi louvado por esse facto.

Terminado este período de acção militar, regressa à Maternidade Júlio Dinis reocupando o lugar que lhe pertencia antes da vida militar e onde permanece até vir para Portalegre. Aqui, em 1969, é convidado a criar o Serviço de Obstetrícia no Hospital da Santa da Misericórdia de Portalegre, tornando-se o 1º Obstetra credenciado.

Em Dezembro desse ano presta provas públicas para obter a titulação na Ordem dos Médicos em Coimbra e é aprovado.

A 10 Janeiro de 1970 toma posse como Director do Serviço daquele Hospital. E por provas públicas a nível nacional em 1972, obtém o título de Director de Serviço Vitalício, arrecadando o 1º lugar do concurso realizado no Hospital de Sto António no Porto
Em Dezembro de 1974 deu-se a transferência da Maternidade para o novo Hospital Distrital. Foi de 1972 a 74, professor de Anatomia na Escola de Enfermagem.

Em 1972 vai durante 90 dias, para a Maternidade Virgem del Rocio em Sevilha, fazer actualização de conhecimentos obstétricos que ainda não eram conhecidos nem praticados no nosso país (cardiotocografia; analgesia intraparto com pentotal…etc).
Foi médico de Saúde Materna nos Centros de Saúde de Nisa, Monforte, Arronches e Portalegre, de 1970 a 2001, exercendo a Coordenação e interligação entre os Cuidados Primários e Hospitalares em Saúde Materna e Planeamento Familiar até 2003.

Em 1976 foi eleito, por voto secreto, Director Clínico do hospital, função que desempenhou até 9 de Junho de 1978.

Inicia, a convite do Sr. Dr. Mário Soares, 1º Ministro dessa época, as funções de Governador Civil no dia 10 de Junho de 1978, que manteve cerca de 22 meses.
Em 1981 é convidado a cursar o 1º Curso mundial de Planeamento Familiar como bolseiro da O.M.S. com a duração de 30 dias na Hungria. Da Europa só foram Portugal e a Grécia, os restantes elementos eram de África, Ásia, América Central e do Sul. Estes cursos foram efectuados até 1987 numa Universidade húngara de Debrecen.
Após seu pedido e com a concordância da Sra. Dra. Purificação Tavares, promotora destes cursos a nível nacional, efectuados anualmente na Direcção Geral de Saúde em Lisboa, passa a ser o Responsável pela formação anual na área da Contracepção, integrado no grupo da D.G.S., dos Clínicos Gerais e de Enfermeiras dos CSP do distrito de Portalegre. Em cinco anos, 115 médicos receberam formação teórico-prática sendo esta última ministrada no Centro de Saúde de Portalegre, por si próprio.

Em 1987, a O.M.S. reuniu em Debrecen um elemento de cada país participante na formação durante os últimos 6 anos. Foi escolhido para representar Portugal e, durante uma semana, retiraram-se conclusões do que demais actual se investigou na área contraceptiva
De entre as conclusões, Portugal demonstrou (através do relatório fornecido pela sua autoria…) que tinha capacidade e “know how” para continuar a ministrar estes cursos aos seus próprios médicos. Em Debrecen continuaram as formações em áreas mais tecnológicas (colposcopia e laparoscopia).

Um ano antes de ter sido promulgado pelo Secretário de Estado da Saúde, Dr. Albino Aroso, o despacho da implementação do Planeamento Familiar em Portugal, já os médicos de família deste distrito sob a sua orientação, foram os pioneiros a actuar nesta importante área da saúde da Mulher.

E ainda antes da promulgação da Lei de Saúde Materna, já em Portalegre se dava formação aos médicos do distrito com uma planificação dividida por quatro sectores - Elvas, Portalegre, Alter do Chão e Ponte de Sor - para facilitar as várias deslocações dos colegas vindos dos concelhos adjacentes.

Foi nesta altura nomeado Coordenador da Formação permanente da Saúde Materna e Planeamento Familiar e exerceu as funções de Presidente da UCF, Unidade Coordenadora Funcional dessas áreas no distrito, cargos que só cessaram com a sua aposentação em Julho de 2003.

Durante a sua Direcção de Serviços, contratou especialistas para as duas áreas de Obstetrícia e Ginecologia; deu a formação obstétrica a um dos elementos actuais do serviço; promoveu a existência no Bloco de Partos de 2 obstetras nas 24 horas e lutou, justificando, pela prestação de serviço de urgência em presença Física. Incentivou a formação dos colegas nas áreas mais carentes da especialidade contribuindo para a qualidade e autonomia do sector cirúrgico ginecológico; equipou o serviço com tecnologia moderna para avaliação do bem estar feto-materno (ecógrafo, cardiotocografo…) e incentivou a introdução dos procedimentos endoscópicos com aparelhos e recursos humanos (equipa médico/enfermeira).
Em todo o seu período de actividade hospitalar, promoveu em Portalegre, jornadas subordinadas a esses temas e incentivou os seus colaboradores a procurarem manter-se actualizados, frequentando formação em cursos idóneos internacionais.

Apoiou a investigação clínica de 2 dos colegas do seu “staff”, o que permitiu levar POSTER´s e comunicações, às reuniões internacionais da FIGO no Canada – Montreal - e na Dinamarca – Copenhague-, e aos congressos nacionais de Ginecologia .

O reconhecimento pelo trabalho efectuado, ao serviço da Saúde Feto-Materno Perinatal e do Planeamento Familiar, foi confirmado pela tutela (no final do ano de 2009) com a atribuição do seu nome à Maternidade do Distrito de Portalegre – Maternidade Dr. Francisco Feitinha. [ler notícia]

[voltar aos currículos]