Serviços


Os exames são efectuados num aparelho topo de gama - Siemens S2000, sendo os relatórios fornecidos às utentes acompanhados de imagens impressas e/ou em suporte informático.

• Ecografia Obstétrica

A ecografia é uma técnica ultrassónica dinâmica, que permite obter imagens do seu bebé, em várias idades gestacionais. Esta técnica, com as frequências de determinada amplitude, nas sondas transabdominal e endovaginal, não tem risco conhecido, o que explica a sua ampla divulgação e aplicação na prática obstétrica pré-natal.

A ecografia Doppler utiliza o mesmo princípio e avalia a vascularização feto-materna e placentar, assim como, aprecia a velocidade e os índices de resistência e pulsatibilidade do fluxo sanguíneo que passam nas artérias materno-fetais (uterinas, umbilicais …) inferindo sobre o bem estar fetal.


• Explicação da execução da ecografia

  • O exame é realizado por um médico obstetra credenciado para o efeito. Ficará deitada numa sala com luz atenuada para facilitar a visualização das imagens.

  • A aplicação de um gel vai permitir a condução dos feixes ultrassónicos;

  • Escolhe-se a sonda transabdominal que é colocada sobre a sua barriga e inicia-se o estudo da anatomia do feto, dimensões e dinâmica, assim como dos seus anexos (cordão umbilical, placenta, membranas, líquido amniótico).

  • Em certas ocasiões, opta-se por uma sonda endovaginal a fim de melhorar a visualização de certas partes do feto e da mãe.

  • A análise técnica faz-se "em tempo real" e vão sendo efectuados ecogramas ao longo do exame (ou a pedido em gravação cd-dvd). O relatório é elaborado com todas as películas que comprovam o que se escreve.

  • A duração do exame é variada, sendo sempre superior na ecografia do 2º trimestre, por excelência, realizada para o exaustivo diagnóstico morfológico e estrutural do feto.

• O que deverá trazer preparado.

Deverá saber dizer:

  • A data da última menstruação: ________ / ________
  • O tempo da gravidez por U.S.: ________ _______ (se o tempo de gravidez foi determinado pela 1ªecografia no 1º Trimestre)

Traga no dia do exame:

  • o pedido do seu médico (prescrição, carta....) com dados clínicos de interesse
  • todos os exames anteriores

 

• Condições para fazer o exame:

  • Não é necessário estar em jejum mas cumpra as indicações que a assistente lhe fornece de acordo com o tipo de ecografia (pélvica; endovaginal; endorectal) a que se vai submeter

  • Durante o exame - Converse com o médico assinalando todos os seus antecedentes familiares, pessoais ou de gravidez patológica. Ao longo de todo o exame, pode ver no ecrã, o desenrolar do mesmo com a ajuda do médico.

  • Não hesite em questionar algumas das suas dúvidas.

  • Após o exame aguarde, pois o relatório (salvo raras situações) ser-lhe-á fornecido em breves minutos

  • Se voltar a repetir a ecografia traga-nos os exames precedentes.


Durante a gravidez sem risco, 3 ecografias ser-lhe-ão propostas nos :

  • 1º trimestre
  • 2° trimestre
  • 3° trimestre


• Objectivos do exame obstétrico

A ecografia permite avaliar

  • os marcadores duma gravidez normal, relacionados com:
    • a Dinâmica, a Biometria e a Morfologia fetal
  • a idade exacta da gravidez
  • o número de fetos
  • a evolução do crescimento com apreciação Doppler da vascularização da unidade feto-materna e
  • descartar a existência de malformações fetais,

fornecendo informações indispensáveis a uma gravidez que se pretende e se deseja normal, premissa necessária, para o nascimento dum feto saudável.


do 1º trimestre

A ecografia do 1º trimestre é realizada entre as 11-13 semanas e 6 dias de amenorreia e fará:

    • a identificação, da gravidez precoce com bem-estar evolutivo, e do corpo amarelo gravídico

    • a identificação precoce de gestação anómala não evolutiva

    • o reconhecimento da gravidez múltipla e da corionicidade placentar

    • a avaliação do bem-estar embrio-fetal (movimentos + tonus + frequência cardio-fetal, FCF)

    • a datação gestacional – diâmetro crâneo-caudal (CRL)

    • a avaliação morfológica para descartar malformação major

    • a medição da translucência da nuca TN, marcador de cromossopatia

    • a visualização dos ossos do nariz

do 2º trimestre

A ecografia do 2º trimestre é realizada entre as 20-22 semanas e 6 dias de amenorreia a fim de fazer :

    • avaliação morfológica em 2D e sequencial do corpo fetal e anexos, para descartar malformações orgânicas e estruturais

    • determinar a biometria fetal nas várias etapas da gestação (perímetros cefálico, abdominal e comprimento do fémur ) com avaliação do índice de crescimento e percentis

    • indicar a localização placentar e a quantidade do liquido amniótico

    • medição do canal cervical

    • avaliação da dinâmica fetal (movimentos corporais + tonus + FCF)

    • enquadramento em 3D/4D, sempre que possível

do 3º trimestre

A ecografia do 3º trimestre é realizada geralmente entre as 28-32 semanas de amenorreia a fim de:

    • corroborar o crescimento e o bem estar fetal

    • avaliação do índice de crescimento, biometria e percentis

    • confirmação da localização placentar e do índice de LA

    • dinâmica e postura fetal

    • insistir na avaliação morfológica fetal, porque certas anomalias revelam-se apenas tardiamente na gravidez.

    • reavaliação do canal cervical

    • fluxometria da artéria umbilical em percentis anómalos

     

Vantagens e limitações do exame no achado de malformações

  • Após confirmação (por outra instituição interligada e em sinergia com a Centropor) de certas malformações incompatíveis com a vida ou de mau prognóstico, e após reunião com o casal, inicia-se o processo legal da interrupção da gravidez (se for esse o seu desejo), dirigido à Comissão Técnica de Interrupção Terapêutica da Gravidez, do Hospital. Para outras anomalias fora desse âmbito, a ecografia permite antecipar o melhor acolhimento (neonatalogista...) após o nascimento da criança deficiente.
  • Apesar das melhorias técnicas, este exame não garante 100% de diagnóstico de certeza. Por vezes uma anomalia presente não é visível devido às más condições técnicas, posição fetal, quantidade de líquido amniótico, obesidade materna, etc.
  • O contrário também é verdadeiro e, certas imagens podem ser falsamente anormais, sabendo que há outras anomalias que não são diagnosticadas pelo método ecográfico.
  • Aconselha-se que o médico dialogue com o casal com calma, sem alarmismo e com soluções alternativas, no sentido de diminuir a sua ansiedade perante os factos adversos.

 

• A Ecografia nas IVG´s

  • para selecção e aceitação dos pedidos - consulta prévia